A Linha do Tempo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A Linha do Tempo

Mensagem por Danto em Sex Abr 24, 2015 5:29 am

O tempo para nós é importante, afinal, ele não nos envelhece e não nos enfraquece. É através do tempo que nossos poderes crescem, somos eternos nesse mundo e por isso ele é fundamental. Compreender cada pequeno pedaço de cada época, registrar, informar, assim nos mantemos mentalmente sãos e conseguimos com muito esforço nos recordar de como o mundo era na época de nosso abraço. Assim, segue a linha do tempo que consegui construir através de muitos anos de pesquisa em bibliotecas espalhadas por todo o mundo conhecido, consultei também os mais antigos de nosso sangue, os progenitores de alguns clãs e a primeira filha de nosso pai, Zillah.
a.E. = Antes do Período Imperial
d.E. = Depois do Período Imperial

-500 a.E.  Os humanos crescem e se espalham por todos os cantos do mundo conhecido e fragmentado como o conhecemos hoje. É impossível obter informações anteriores a esse período. Nessa época eles já possuem conhecimento de fogo, abrigo e aos poucos começam a dar nomes a suas divindades e construir suas regras rústicas.
- 380 a.E. As tribos começam a se desenvolver de maneiras diferentes, algumas mais dedicadas a agricultura, outras a conquista e assim aos poucos as tribos foram se tornando especializadas em determinadas funções e o conceito de cultura regional nasce.
- 356 a.E. O primeiro assassinato ocorre entre as duas mais nobres e notáveis tribos, as tribos que herdam diretamente o sangue dos primeiros humanos. Dois irmãos que lideram suas tribos se encontram no solstício de verão e o mais velho sacrifica seu irmão mais novo no altar de homenagem aos deuses. E é banido pela eternidade.
-233 a.E. Caim, o assassino retorna de seu banimento, visto pela primeira vez na região da babilônia e por lá se estabelece. Longe de qualquer tribo, de qualquer outro ser. Começando então a construir para si sua própria casa.
-220 a.E. Caim torna-se solitário em seu refúgio do mundo. As tribos começam a compreender a força que suas atitudes são capazes de causar, assassinatos se tornam mais frequentes e rapidamente se tornam proibidos em todas as tribos.
-200 a.E. Aqueles que comentem assassinatos começam a ser banidos de suas tribos, uma tribo no extremo norte do mundo, nas planícies gélidas, descobre que matar inimigos é a forma mais confiável de dominar uma tribo inimiga.
-100 a.E. Desesperado em sua solidão, Caim sai de seu refúgio em busca de companhia. Amargurado, rancoroso, raivoso e violento. Assim ele é descrito por sua filha no dia do primeiro contato entre eles, esse encontro ocorre nas proximidades das terras áridas do atual Reino Otomano. Zillah é abraçada.
-94 a.E. Caim e sua companheira retornam para casa e encontram civilização ao entorno da solitária casa de Caim. Os humanos chegaram próximos o suficiente para colocar o refúgio dele em risco e ele tomado pela fúria devora todos da cidade, exceto pelo líder da tribo e sua esposa. Caim abraça o casal amaldiçoado.
-88 a.E. Sobre os escombros da antiga tribo, Caim vive com seus filhos. Zillah relata que o casal aos poucos começa a negar as ordens dadas pelo Pai, pouco a pouco eles se tornam rebeldes e ainda rancorosos pela destruição causada por ele, ambos decidem confrontar Caim. O Assassino e pai de todos nós ruge e sua fúria rompe os céus e faz chover por anos, ele branda aos céus e amaldiçoa a existência dos rebeldes.
-84 a.E. Os humanos que sofreram muito com as chuvas causadas por Caim se erguem com novos conceitos, os sábios das tribos e os videntes absorvem algo das chuvas de fúria e com ela eles começam a instruir seus líderes para um futuro diferente. Uma tribo próxima as margens do rio Nilo dominam a arte da forja de armas. Outra tribo no extremo norte dominam a marcenaria militar.
-71 a.E. Zillah abraça sua primeira prole, o progenitor dos Nosferatu. Vivendo com sua prole no meio dos escombros amaldiçoados da antiga tribo do casal banido, a prole de Zillah começa a ter seus próprios filhos e filhas. Assim começa a população Cainita no mundo.
-58 a.E. As guerras tribais começam. Inicialmente no Norte e nas terras do Nilo, elas rapidamente explodem por todo o mundo conhecido. Caim mais uma vez é abatido por uma tristeza imensa, ele então sai de seu refúgio em direção ao Nilo. Nosferatu abraça Yiama (4ª Geração), Yaga (4ª Geração), Azazel (4ª Geração) e Abraxes (4ª Geração).
-55 a.E. Caim abraça Enoch, o sábio. E ordena que seu filho vá a seu refúgio e que lá construa uma nova moradia para que quando retornar houvesse um lar verdadeiro. As guerras entre os humanos se torna sangrenta e feroz, as tribos começam a avançar cada vez mais e a crescer como os futuros impérios que seriam.  Androvikus (5ª Geração) é abraçado por Yiama.
-54 a.E. Caim segue sua caminhada para o sul, nas distantes terras da África. O primeiro Império surge, os Herdeiros de Odin, dominando totalmente todas as terras gélidas do extremo norte da Europa. Gutka (5ª Geração) é abraçada por Abraxes.
-53 a.E. Caim abraça Irad, o forte. Ele ordena que Irad retorne para casa e faça sua nova moradia forte e duradoura. Caim desaparece por anos após abraçar Irad sem nunca contar para onde ou por onde caminhou a nenhum de seus filhos.
-50 a.E. Os três filhos de Caim regem lado a lado a primeira cidade, agora reconstruída e organizada. Enoch a nomeia com o nome de Ubar. O segundo Império nasce, os filhos do Sol emergem do Nilo com uma fúria ardente e imparável.
-32 a.E. Enoch impede que os herdeiros de Zillah abracem até o retorno de Caim. Uma mulher escapa, herdeira do sangue de Zillah e filha de sua prole, seu nome é Yaga (4ª Geração) e ela nunca mais é vista. O império de Zeus domina toda a região sul da Europa e começa a guerrear contra as duas maiores tribos.
-19 a.E. O último império começa a nascer, as tribos frágeis e os refugiados das guerras se unem na península Ibérica e recebem o que eles chamam de “Mão de Deus” e com essa esperança eles se transformam em um exército poderoso. A população de cainitas na cidade de Ubar é de precisamente 14 membros.
Ano 0 da era Imperial. Caim retorna a Ubar, para a surpresa de todos ele está calmo e feliz. Rapidamente ele revoga as proibições de Irad e Enoch aconselha que seus filhos saiam da cidade para buscar suas próprias crias. Caim assume o trono de Ubar. Os líderes das quatro tribos se reúnem em território neutro e declaram o início formal das batalhas imperiais, sobre o Tratado de Sangue Divino.
10 d.E. Irad abraça os progenitores dos clãs Ventrue, Brujah, Lasombra, Gangrel, Tzmisce, Ravnos e com seus filhos ele retorna para Ubar. Enquanto isso, os humanos marcham em batalhas cada vez mais terríveis e grandiosas. A guerra do Saara é travada entre o Império Grego e o Império Egípcio, milhares são mortos e a terra é amaldiçoada de uma maneira incompreensível.
15 d.E. Enoch abraça os progenitores dos clãs Toreador, Malkavian, Salubri, Cappadocius e com seus filhos ele retorna para Ubar. A grande batalha da Gália ocorre entre as forças do Império Nórdico e do Império Latino, esse é a primeira grande vitória dos Latinos na guerra.
17 d.E. Com inveja de seus irmãos, Zillah sai da cidade de Ubar em busca de mais herdeiros. Deixando o progenitor do clã Nosferatu, sua primeira prole, em seu trono. Caim se aproxima de alguns membros da terceira geração, em especial, do Ventrue, do Salubri e do Cappadocius.
20 d.E. Toreador abraça Mi-há-el (4 ª Geração), Brujah abraça Troile (4ª Geração). O império latino finalmente alcança o mesmo patamar de forças que seus inimigos e as batalhas se transformam em uma batalha santa/cultural, onde as tropas começam a matar em nome de seus Deuses.
27 d.E. Ventrue abraça Veddartha (4ª Geração), Medon (4ª Geração) e Arakur (4ª Geração). Gangrel abraça Urlon (4ª Geração).  Lasombra abraça Montano (4ª Geração) e Boukephos (4ª Geração). Malkav abraça sua única prole, Lamdiel (4ª Geração). Zillah retorna à cidade com seus herdeiros, os progenitores dos clãs Setitas e Assamitas.
30 d.E. Assamita abraça Ur-Shulgi (4ª Geração) e Mancheaka (4ª Geração). Cappadocius abraça Caias (4ª Geração) e Japeth (4ª Geração). Ravnos abraça Kali (4ª Geração).  Caim se torna muito próximo das proles do Ventrue.
31 d.E. O primeiro assassinato de um cainita acontece em Ubar, como punição, Caim amaldiçoada o pecador para sempre e construí as leis de sangue, com ajuda de seu querido neto, o Ventrue. Lado a lado eles fazem o discurso de estabelecimento das Leis de Sangue que são seguidas até hoje por todos nós. Set abraça o casal Nakhthorheb (4ª Geração) e Kemintiri (4ª Geração).  Salubri abraça os irmãos Samiel (4ª Geração) e Rayzeel (4ª Geração). Toreador abraça Ishtar (4ª Geração) e Minos (4ª Geração). Tzmisce abraça Kartarirya (4ª Geração).
44 d.E. As batalhas Imperiais começam a perder força e as conquistas passam a ser mais bem focadas e organizadas, ataques específicos são feitos contra bibliotecas, santuários e locais de conhecimento como casas de escribas e similares. Em resposta, os intelectuais de todos os Impérios começam a formar a União Racional. Tzmisce abraça Gallod (4ª Geração).
55 d.E. Ubar se torna extremamente populosa, não por humanos, mas quase que exclusivamente por cainitas. Os humanos próximos começam a ser escravizados e tratados como gado, o termo “Rebanho” tem origem nessa época. Caim começa a se distanciar e a se isolar em seu trono, apenas os seus filhos e o Ventrue mantem contato com ele.
62 d.E. A União Racional é formada e dá começo a grande Revolução Silenciosa por todos os impérios. Os humanos de Ubar começam se transformam em escravos eternos e não há mais respeito por eles, poços de sangue são construídos nas ruas e cheios todas as noites. As vilas e cidades próximas a Ubar começam a espalhar os rumores de “cidade amaldiçoada”.
65 d.E. A população cainita de Ubar alcança o total de 416 membros. E Caim se ausenta do contato com todos seus filhos e herdeiros, trancando as portas de seu refúgio. A cidade fica a sob a tutela de Ventrue que juntamente com os filhos de Caim anuncia a proibição da procriação, cirando o conceito do abraço, uma procriação selecionada e coerente.
87 d.E. A União Racional derruba o primeiro império, o Imperador Grego renuncia seu cargo e anuncia o estabelecimento da democracia em seus domínios. Os outros impérios avançam sedentos por sangue e terra sobre as posses gregas e os reduzem a quase nada. Mas a União racional prontamente os assegura o estabelecimento em suas terras natais.  
99 d.E. A União Racional põe fim ao império Nórdico e ao império Egpício na mesma semana, restando apenas o Império latino no mundo. Mas ao contrário dos outros Impérios, ele rapidamente se retrai e tira suas tropas do solo inimigo, “seguindo as palavras do único Deus”, eles começam a construir pequenas capelas em todos os territórios abandonados ou conquistados. Caim desaparece, causando caos em Ubar.
105 d.E. Ventrue sai de Ubar em busca de Caim, deixando a segunda geração no poder. A cidade sai de controle, cainitas começam a atacar cidades vizinhas e a fugir da cidade, a segunda geração não consegue/não se importa em controlar os herdeiros do sangue de Caim, Irad abandona a cidade.
112 d.E. É estabelecida a Era dos Reis por todos os territórios do mundo conhecido e catalogado pela União Racional. Eles entregam a cada Rei um conjunto de leis e normas para governar e finalmente conseguem se estabelecer de maneira segura e total nos territórios latinos. Enoch abandona Ubar e a cidade mergulha em sua própria destruição e sede de sangue.
117 d.E. Zillah se esconde com medo da fúria mais novos e foge da cidade. Os assassinatos de cainitas se torna tão frequente quanto o assassinato de humanos e animais, a cidade de Ubar se transforma em um caldeirão de sangue onde apenas o mais forte sobrevive. Os Setitas e os Assamitas saem da cidade para nunca mais retornar, O Nosferatu se desespera sem seus irmãos e progenitoria por perto e perde o controle de suas próprias ações.
120 d.E. Caim retorna à cidade, sozinho. Ninguém tem notícias do paradeiro do Ventrue. Sem seus filhos e sem seu comandante, Caim encontra dificuldades em controlar o desespero e o caos causado por seu próprio sangue. Tzmisce esnoba a presença de Caim e vira suas costas para o pai, saindo da cidade.
121 d.E. Caim é engolido pela fúria, ele rompe as muralhas da cidade e antes de expulsar todos os cainitas de lá ele os amaldiçoa, rogando pragas contra cada progenitor de cada família e só assim renega a todos como seus herdeiros e filhos. Caim nunca mais é visto por nenhum outro cainita no mundo.
138 d.E. Os Ventrue se estabelecem nas ilhas gregas e principalmente na região de Esparta. O governo monárquico proposto pela União Racional funciona perfeitamente, separando o poder dentre vários lordes feudais e controlando assim a necessidade de posse dos líderes e nobres.
141 d.E. Os Lasombra se estabelecem na Ibéria, abraçando o Um Deus antes de qualquer outro clã se preocupar com a existência do mesmo. Os demais clãs começam a vagar por todos os cantos do mundo, explorando e abraçando com muita cautela.
185 d.E. A Quinta e a Sexta gerações se tornam as mais “comuns” entre os cainitas e os antigos começam a se refugiar em lugares distantes e exóticos, principalmente a terceira geração que sofrem muito com a maldição de Caim. Ecos do período imperial causam conflitos pequenos em todos os lugares, principalmente nas terras de divisa entre os gregos e egípcios.
192 d.E. As ilhas britânicas começam tem seu primeiro Rei reconhecido pela União Racional. Os Reis começam a se aliar a unir territórios, a União não reage bem a essas ações e por temer uma nova era Imperial, começa a realizar boicotes comerciais a Reinos Unidos. Os Lasombra começam a participar ativamente da Igreja Latina.
204 d.E. Os Salubri se estabelecem no extremo oeste, nas terras de Jerusalém. Lá eles se estruturam como clã e só futuramente retornariam aos olhos dos outros clãs. Os Reinos Unidos são forçados a desfazerem suas uniões e a tradição dos casamentos arranjados se dá início, conferindo assim herança legitima a tronos aliados aos Reis e Rainhas.
214 d.E. A União Racional dá início a mais ousada estratégia em prol da evolução humana: O fim das religiões. Pouco a pouco ela começa a incentivar a ausência das crenças através das escolas e universidades. A monarquia latina se mostra extremamente resistente aos planos da União. Os Lasombra ficam ao lado dos monarcas locais.
216 d.E. Os Assamitas se estabelecem nas montanhas da Capadócia e constroem sua fortaleza, estruturando-se como clã e vindo aos olhos dos outros cainitas apenas em um futuro distante.
220 d.E. As linhagens sanguíneas começam a aparecer por vários territórios, a primeira é registrada nas terras das Ilhas Britânicas, os Kyasid. Uma mistura do nosso sangue com criaturas feéricas. Os cainitas começam as e estabelecer em todas as grandes cidades do mundo.
244 d.E. A Primeira Batalha da Fúria acontece. Em uma cidade do reino germânico cainitas são mortos por raças metamórficas de homens lobo, aos poucos nós somos surpreendidos por uma avalanche de ataques ferozes de bestas metamórficas contra nossos domínios. A União Racional toma conhecimento da existência de seres sobrenaturais por causa dos ataques das bestas a cainitas em grandes cidades como Berlim e Paris. Seth se estabelece com sua família nas distantes terras do Egíto e só retornaria em um futuro recente aos olhos dos outros clãs.
245 d.E. O Massacre de Berlim acontece, todos os cainitas da cidade são devorados e dilacerados pelas bestas homem-lobo. Sem nenhum tipo de comando ou estrutura, os clãs começam a se esconder para não seres caçados pelas bestas. Na Grécia, Minos (Toreador 4 ª Geração) surge com informações privilegiadas sobre os inimigos.
250 d.E. A Segunda Batalha da Fúria acontece. Nos pés das montanhas de carpatos, uma tropa de milhares de lobos metamórficos e outras raças atacam a fortaleza que pertence ao progenitor da família Tzmisce. O antigo acorda enfurecido e derrota todos os inimigos em apenas uma noite de conflito. Cappadocius começa a ter seus primeiros sonhos de esperança.
300 d.E. A Terceira Batalha da Fúria acontece em Sevila, os cainitas locais são massacrados e exterminados. Um sobrevivente, Tercio Bravo (Lasombra 5 ª Geração) foge para Madrid e reporta a seus irmãos o acontecido. Cappadocius tem o sonho da revelação, envolvendo os filhos de Zillah, seus irmãos da terceira geração.
302 d.E. A Batalha da Reconquista começa por toda a Ibéria. Os cainitas locais não se acovardam e fogem como os outros por todo o mundo, eles se armam com prata e lutam contra as feras, expulsando-as de seus territórios. As Batalhas da Reconquista se intensificam e se estendem por anos. Cappadocius para de ignorar os próprios sonhos e com suas únicas proles, ele começa a peregrinar pelo mundo antigo em busca dos irmãos desaparecidos.
305 d.E. Minos se reúne com Tercio Bravo e ambos a Batalha da Reconquista também começa a acontecer em terras Gregas e Italianas. Zillah se esconde nas Ilhas Britânicas, Irad informa sua irmã que ele está adormecendo em algum lugar perto da costa Africana e Enoch segue em direção ao distante oriente.
310 d.E. A União Racional é expulsa e proibida de atuar em terras Ibéricas pelos monarcas locais. “A Guerra Santa” é protagonizada pelos membros mais ricos da região que queimam livros e obras da União e impõe o ensinamento religioso nas escolas e universidades.
312 d.E. Gustav Breidenstein (Ventrue 5 ª Geração) se proclama arauto da Guerra da Reconquista nas regiões bávaras e começa a visar a reconquista de Berlim. Mithras (Ventrue 4ª Geração) leva o ideal da reconquista para as Ilhas Britânicas.
315 d.E. Yorak (Tzmisce 4 ª Geração) convoca a primeira grande reunião do sangue de Caim, em prol das Batalhas de Reconquista. E apenas no final do ano a reunião acontece, recebendo o nome de Conclave e acontecendo nos picos das montanhas de carpátos. Apenas os 10 clãs europeus respondem ao chamado. Esse ano é marcado na história da nossa sociedade cainita como a primeira reunião após Ubar.
341 d.E. Sem a ajuda da União os humanos dos reinos da Ibéria surpreendem o mundo com a notícia da construção de um barco capaz de atravessar os mares e chegar até o oriente distante e ao sul da África. O barco só ficaria pronto vários anos à frente.  Vários humanos dessa região começam a desenvolver poderes únicos e raros, alguns atribuem esses poderes ao “Deus Único” enquanto outros explicam que “A terra é o nosso Deus”. Registro aqui o começo das atividades mágikas entre os mortais.
344 d.E. As várias batalhas entre cainitas e bestas-lobo se torna notável até para os olhos dos humanos comuns da Europa. E a União Racional se revolta a situação e começa a usar de suas armas para lutar contra as raças e tudo que é sobrenatural.
345 d.E. A união captura um jovem cainita e um filhote garou. Os Arcanjos de Madrid começam a renovar a fé dos Deus Único entre os cainitas, explicando que, os arcanjos do Deus amaldiçoaram Caim e a todos nós e é nosso dever nessa terra sermos Amaldiçoados.
354 d.E. Cainitas começam a abraçar membros da Ordem como represália as capturas de jovens cainitas, os principais responsáveis por essas represálias são os Nosferatu. Tarcio é morto em batalha contra os garou e se torna o herói da Reconquista.
400 d.E. A União já não é mais capaz de aguentar os ataques dos cainitas e a sabotar os avanços dos estudiosos ibéricos, escolhendo lutar contra as criaturas sobrenaturais, a União perde totalmente sua influência sobre a Ibéria. Cappadocian encontra Set nas profundezas das terras do Egito e o convence a juntar-se com seus irmãos mais uma vez.
411 d.E. A Ibéria coloca sua primeira frota de grandes navios no mar e revoluciona o conceito de transporte marítimo. Essa frota causa inveja a todos os demais Reis e a União começa a se ver prejudicada de mais para controlar os humanos da forma que sempre fez, suas leis começam a ser quebradas e o fato do abraço de vários membros promissores dificulta ainda mais a situação da União. A presença dos Setitas entre os cainitas intensifica ainda mais a batalha contra a União, pois as serpentes são especialistas nos jogos que eles jogam, intrigas e poder.
416 d.E. Cappadocian se encontra com o Assamita e o convence a voltar para junto de seus irmãos avisando que a força de sua família seria necessária para a vitória dos filhos de Caim. Os Brujah se estabelecem em Cartago.
429 d.E. A Ibéria, a França, a Germânia, as Ilhas Britânicas e a Grécia vencem suas batalhas de Reconquista. Fundamentando nas regiões os primeiros domínios cainitas após a cidade de Ubar, eles são chamados de Triunviratos e são governados por três líderes de sangue forte, suas leis são as leis do sangue de Caim. Os seres bestais sobreviventes são empurrados de volta para suas florestas e proibidos de retornar à cidade, exceto pelas Ilhas Britânicas onde todos foram mortos.
434 d.E. A União Teórica declara seu fim. Os cainitas derrotaram a União da mesma forma que derrotaram os garou e começam a dominar suas terras e a comprar suas posses. O poder dos Reis que antes era fragmentado agora se intensifica e as antigas leis passam a ser ignoradas e refeitas, cada região com a sua, cada Rei com a sua. Reis se transformam aos poucos em governantes totais de seus domínios e figura dos Lordes é reduzida para a de vassalos e nada mais.
438 d.E. Os primeiros Duques surgem nos reinos da França, berço da nova filosofia de governo, usada como molde em vários reinados por todo mundo conhecido. Duques são os novos Senhores Feudais, atuando como mãos de ferro dos Reis sobre as áreas distantes de seus castelos. Os Guardiões surgem na região da França, cainitas determinados em alcançar o perdão divino. Os Arcanjos dominam vários Triunviratos na região Ibérica.
440 d.E. Salubri encontra Cappadocian perdido e desolado por falhar em sua missão de encontrar seu irmão a tempo, Cappadocian afirma que seus sonhos o conduziram até os dois primeiros, mas o abandonaram quando ele mais precisava. Os cainitas já estavam cometendo o maior erro de suas existências em transformar o mundo inteiro em uma nova Ubar. Salubri consola seu irmão e retorna ao lado dele para a presença dos outros clãs.
444 d.E. A frota naval da Ibéria regressa de suas viagens até o oriente e o sul africano, expandindo assim a percepção do tamanho do mundo conhecido, abrindo a grande era das navegações por todos os reinos. O mar tornou-se a grande maneira de demonstração de força e poder, ao invés de conquistar e invadir reinos vizinhos, “as novas terras” começam a ser invadidas e conquistadas. Poucos são os registros de cainitas se aventurando pelo mar.
447 d.E. Os Guardiões e os Arcanjos se aliam em torno da grande verdade, a existência de apenas um Deus após descobrirem fragmentos de um antigo livro. Esse livro, escrito nas terras de Ubar é chamado de “O Livro de Nod” e ele conta sobre as nossas origens e sobre a maldição inicial, rogada pelos arcanjos do Deus Único sobre Caim.
483 d.E. As colônias europeias por toda a costa do continente africano se intensificam e pequenas batalhas navais começam a acontecer, mas nenhuma guerra é declarada. Nasce a rivalidade entre os reinos britânicos e ibéricos, assim como a rivalidade italiana e grega.
484 d.E. Os 13 clãs são finalmente estruturados e estabelecidos como conhecemos hoje, as noções de Altos Clãs e Baixos Clãs são dadas de acordo com o potencial financeiro e de influência dos anciões de cada clã. Os Hereges sobem ao poder máximo das regiões nórdicas e egípcias.
486 d.E. Conflitos em alto mar começam a gerar desconfortos entres os reinos, ameaças e saques são realizados com mais frequência. O Rei da França faz um pronunciamento contra os conflitos na cidade de Paris e envia cartas a todos os Reis conhecidos. A fundação dos Cavaleiros se dá início, uma facção de cainitas honrados e de herança nobre dedicados a governar junto com os humanos. Os Cavaleiros assumem vários Triunviratos na região germânica e em suas capitais, Berlim, Praga, Viena e Frankfurt.
490 d.E. Entre os cainitas abraçados que pertenceram a antiga União da Razão, surge a nova linha de pensamento cainita. Os Iluminados. O famoso Tratado dos Sete Mares é assinado pelos maiores Reis humanos e as terras do litoral africano começam a ser divididas de maneira justa entre as coroas. Os Reis menores e ignorados pelo tratado começam a patrocinar saques e invasões as colônias africanas, nasce aqui o conceito de pirataria. Os Guardiões assumem o Triunvirato de Milão, Roma, Madrid e Paris.
494 d.E. Estudiosos da escola naval de Lisboa começam a desenhar o primeiro mapa mundial de continentes e o apresentam no inverno, surpreendendo o mundo inteiro com uma percepção de um mundo arredondado e “sem fim”. Os maiores reinos investem muito ouro em navegações ao redor do mundo em busca de mais terra e mais conquistas. A coroa de Lisboa, juntamente com a Coroa de Londres, de Madrid, de Milão e de Esparta são as mais bem-sucedidas em suas jornadas.
499 d.E. Os avanços das tropas espartanas começam a conquistar territórios que pertenciam ao pequeno reinado de Cartago, a guerra rapidamente começa e assusta a todos por causa da grande participação de cainitas. Ventrues (Esparta) e Brujah’s (Cartago) declaram-se inimigos e assumem postos de batalha nas invasões e ataques.
501 d.E. Várias guerrilhas similares a de Espata contra Cartago acontecem por toda a Europa. As maiores coroas começam a invadir territórios desprtegidos ou de membros que não participaram do tratado original. Os Iluminados assumem o Triunvirato de Lisboa.
503 d.E. As moedas reais começam a ganhar valores diferentes, os tratos de cambio são estabelecidos e as moedas de Madrid e Londres são as mais caras e pesadas do mundo inteiro. É descoberta uma enorme porção de terras para o lado oposto da África, essas terras são chamadas de “Novo Mundo”.


Última edição por Danto em Dom Abr 26, 2015 2:25 am, editado 1 vez(es)
avatar
Danto
Admin

Mensagens : 25
Data de inscrição : 04/03/2015

Ver perfil do usuário http://newstorytellers.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Linha do Tempo

Mensagem por Danto em Sex Abr 24, 2015 6:53 pm

As Duas Últimas Décadas:
Muita coisa mudou dês do período imperial, apesar de ainda usarmos por convenção as datas de antes e após império, não há mais nada que simbolize suas ideias entre os humanos. Nem mesmo as antigas religiões são populares, restou apenas uma e ela tem origem latina. Foi sem dúvida alguma a grande conquista que nós os Cainitas conseguimos, através da aliança entre os Arcanjos e Guardiões (aliança que já não existe mais na realidade, apenas em teoria). Eles se dedicaram a usar ouro para construir capelas e igrejas em vários locais diferentes, recompensaram os nobres que lutaram contra as outras religiões e pagaram muito ouro para mercenários invadirem templos inimigos e destruírem tudo. Enfim, seguem agora os últimos 17 anos até a data presente.
505 d.E. Os Arcanjos cortam relações diretas com os Guardiões, a explicação para tal feito nunca foi respondida mas existem fortes suspeitas que as visões das facções começaram a caminhar para extremidades diferentes. A Heresia começa a se espalhar discretamente pelas regiões mais distantes do mundo conhecido e os Cavaleiros se colocam a frente das lideranças mundias.
508 d.E. A primeira colônia no Novo Mundo é construída pela coroa de Madrid, a guerra entre Esparta e Cartago chega ao fim com a vitória de Esparta e a tendência do final dos confrontos se expande por todas as pequenas batalhas, sempre com a vitória das maiores coroas.
510 d.E. Os Brujah que ouvem histórias de Cargo se revoltam contra os Ventrue e começam seus esforços para declarar a primeira guerra entre clãs. Entretanto, a intervenção dos Setitas frustra os planos Brujah.
511 d.E. A hegemonia de Triunviratos acaba, não há mais nenhum Triunvirato no mundo que seja dominado por apenas uma das facções de moral cainita. É claro que me refiro aqui aos grandes centros e cidades, não há possibilidades de existir Arcanjos no extremo norte ou de Hereges no poder da Ibéria.
512 d.E. A “Verdade Suprema” é amplamente aceita por grande parte dos cainitas, essa verdade consiste na maldição rogada pelos anjos do Deus Único sobre Caim e reconhece nesse deus os méritos pela criação do mundo e dos homens. As demais coras de grande porte começam a criar suas colônias no Novo Mundo.
516 d.E. Um dos líderes do Triunvirato de Milão é assassinado por sua própria prole, essa ação causa revolta em muitos antigos e principalmente nos anciões. Começa aqui a Lei de Servidão, que obriga o aprisionamento pelo sangue de qualquer cainita com menos de 150 anos de abraço.
517 d.E. Assamitas e Setitas negam a Lei da Servidão, essa atitude é mal vista por grande parte dos outros clãs e alguns Triunviratos começam a proibir a entrada/permanência desses clãs em seus domínios.
518 d.E. Outros assassinatos são registrados por toda Europa, nem sempre envolvendo prole e senhor. Essa situação começa a causar temor entre os anciões e tempos difíceis para os mais novos. Até aqueles jovens que não possuem Senhores presentes ou ativos começam a ser aprisionados ao sangue dos mais antigos de seus clãs ou até mesmo, são forçados a beberem sangue do Triunvirato.
520 d.E. A guerra de Troia acaba, assim é declarada a paz em todos os reinos europeu. Na sociedade cainita, principalmente na Ibérica, começam acusações de desvio de verba para a construção de um exército da fé única. Os arcanjos são acusados por tramarem uma invasão futura as terras dos Hereges. Os mais novos cainitas se encontram encurralados e amedrontados pelas fortes leis que protegem os antigos.
avatar
Danto
Admin

Mensagens : 25
Data de inscrição : 04/03/2015

Ver perfil do usuário http://newstorytellers.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum